4 de ago de 2011

11 atitudes que proporcionam a felicidade

Conheça 11 atitudes que, quando seguidos, melhoram o bem-estar e proporcionam felicidade

A felicidade pode estar em alguns hábitos diários ou crenças pessoais. Confira então 11 atiudes que quando seguidas podem proporcionar muita felicidade pessoal.
1. Valorize as conquistas
É preciso contabilizar os ganhos e aprender a dar valor às conquistas. Cada uma, por menor que possa parecer, traz satisfação e benefícios. "Ser grato é uma das características de quem é feliz e agradecido em relação à vida, sem se preocupar com aquilo que não tem", diz Miriam Barros, psicóloga, psicodramatista e terapeuta de casal e família (SP).

2. Alegre-se com as pequenas coisas que acontecem no seu dia a dia
"A capacidade de valorizar os momentos cotidianos faz você se sentir mais satisfeita e menos ansiosa por acontecimentos que ainda estão por vir", observa Miriam Barros. Não deixe passar em brancas nuvens o telefonema daquele amigo querido, a gargalhada contagiante da criança no restaurante, o almoço ou piquenique que você programou fazer, sozinha, na praça perto do trabalho... Explore e sinta essas alegrias.

3. Pare para pensar nas suas qualidades
Conscientizar-se disso é ter noção do que você é capaz. Mas é importante usufruir e transmitir suas potencialidades com competência e equilíbrio para não se tornar arrogante. Quer dizer, você deve aprimorar suas qualidades buscando o aperfeiçoamento e não para subjugar ou se mostrar superior aos demais.

4. Lembre-se de algo prazeroso que você tenha feito para si
Fechar os olhos e colocar um fone de ouvido com suas músicas preferidas; andar por um local de paisagem bonita para curtir a comunhão com a natureza; marcar um programa consigo mesma no fim de semana, como ir ao cinema sozinha... Qual foi a última vez que você fez isso? As pessoas que se bastam têm mais paz. "Lembre-se: você é a responsável por fazer a planta da sua felicidade crescer", destaca Araceli.
5. Cultive amizades de infância
Quem faz isso cuida de seus objetos de amor e recebe a contrapartida dessa doação, o que indica estabilidade afetiva. É preciso saber conquistar e cultuar amizades ao longo da vida, mesmo considerando as mudanças que vão se processando em cada um de nós. Depende, antes de tudo, de nosso desprendimento e lealdade ao outro, altruísmo para aceitá-lo como ele é.

6. Prepare-se para suportar uma perda emocional
As privações e frustrações fazem partem da vida. "Desde o momento em que nascemos, não temos mais aquele lugar aconchegante no útero de nossa mãe, perdemos o seio que nos alimenta, ficamos inseguros quando somos deixados sozinhos no berço e assim por diante durante toda a existência. Essas 'subtrações' nos acompanham até nosso último suspiro, na perda da vida biológica. Não conseguir suportá-las de maneira constante pode abrir caminho para o surgimento de doenças como infecções e intoxicações", explica Aridinéa.

7. Combata o sentimento de inveja em situações da vida profissional e afetiva
Esse é um dos sentimentos mais difíceis de serem controlados, pois todos nós já experimentamos alguma vez na vida. As pessoas mais afetadas são as que não possuem autoestima - pois, nesse caso, é muito mais fácil almejar o que é do outro. "A felicidade alheia é uma grande fonte de inveja. Indivíduos que se deixam levar por ela em geral não se valorizam, desconhecem quem são e se sentem eternamente derrotados e na posição de vítima. Há relação direta com despeito, falta de amor próprio, egoísmo, falsidade, ódio, sarcasmo e infelicidade", explica Aridinéa. Portanto, para não entrar nessa, seja e aja sempre da melhor forma que conseguir, sem comparações.

8. Reconheça que dinheiro não é tudo
Dinheiro é importante para sobreviver e desfrutar o mundo. Então, sabemos que ele tem relevância. Mas o que muitos estão fazendo é colocar o 'ter' acima do 'ser', gerando uma sociedade fria e frívola, em que poucos se importam verdadeiramente com os outros. "Indivíduos que vivem assim tentam preencher uma tristeza mascarada, um vazio existencial, uma lacuna emocional que os bens materiais nunca conseguem extinguir", reflete Aridinéa.

9. Transforme um problema num desafio a ser enfrentado
Há quem se paralisa diante de qualquer dificuldade. Não tem forças para seguir adiante, enfrentar. "Encarar qualquer obstáculo, acreditando ser possível ultrapassá-lo, é uma habilidade fundamental para ter qualidade de vida e satisfação pessoal", garante Miriam.

10. Perdoe quem a magoou ou prejudicou
Guardar rancor, raiva, mágoa é algo que só faz mal. Entender que errar é próprio do ser humano, passar uma borracha no passado, perdoar e seguir em frente, cultivando só bons sentimentos em relação às pessoas, nos faz mais leves e muito mais felizes.

11. Faça algum tipo de trabalho voluntário
Dedicar-se a isso traz momentos únicos de plenitude. "A sensação de ser útil ao próximo, de fazer diferença na vida do outro, aumenta a satisfação pessoal", conclui Miriam Barros

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não é o dinheiro, estúpido


Não paute sua vida pelo dinheiro: seja fascinado pelo realizar e o dinheiro virá como consequência

SOU, COM FREQUÊNCIA, chamado a fazer palestras para turmas de formandos. Orgulha-me poder orientar jovens em seus primeiros passos profissionais.

Há uma palestra que alguns podem conhecer já pela web, mas queria compartilhar seus fundamentos com os leitores da coluna.

Sempre digo que a atitude quente é muito mais importante do que o conhecimento frio.

Acumular conhecimento é nobre e necessário, mas sem atitude, sem personalidade, você, no fundo, não será muito diferente daquele personagem de Charles Chaplin apertando parafusos numa planta industrial do século passado.

É preciso, antes de tudo, se envolver com o trabalho, amar o seu ofício com todo o coração.

Não paute sua vida nem sua carreira pelo dinheiro. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como consequência.

Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser um grande bandido ou um grande canalha. Napoleão não conquistou a Europa por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro.

E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham. Porque são incapazes de sonhar. Tudo o que fica pronto na vida foi antes construído na alma.

A propósito, lembro-me de um diálogo extraordinário entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar dos leprosos, diz: "Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo". E ela responde: "Eu também não, meu filho".

Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar e realizar têm trazido mais fortuna do que pensar em fortuna.

Meu segundo conselho: pense no seu país. Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si.

Era muito difícil viver numa nação onde a maioria morria de fome e a minoria morria de medo. Hoje o país oferece oportunidades a todos.

A estabilidade econômica e a democracia mostraram o óbvio: que ricos e pobres vão enriquecer juntos no Brasil. A inclusão é nosso único caminho. Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu vomito. É exatamente isso que está escrito na carta de Laodiceia.

É preferível o erro à omissão; o fracasso ao tédio; o escândalo ao vazio. Porque já li livros e vi filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso (ou narra e fica muito chato!).

Colabore com seu biógrafo: faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido.

Tenho consciência de que cada homem foi feito para fazer história.

Que todo homem é um milagre e traz em si uma evolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro.

Você foi criado para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, caminhando sempre com um saco de interrogações numa mão e uma caixa de possibilidades na outra. Não dê férias para os seus pés.

Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: "Eu não disse? Eu sabia!".

Toda família tem um tio batalhador e bem de vida que, durante o almoço de domingo, tem de aguentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo o que faria, apenas se fizesse alguma coisa.

Chega dos poetas não publicados, de empresários de mesa de bar, de pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta à noite, todo sábado e todo domingo, mas que na segunda-feira não sabem concretizar o que falam. Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar.

Só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão. E isso se chama "sucesso".

Seja sempre você mesmo, mas não seja sempre o mesmo.

Tão importante quanto inventar-se é reinventar-se. Eu era gordo, fiquei magro. Era criativo, virei empreendedor. Era baiano, virei também carioca, paulista, nova-iorquino, global.

Mas o mundo só vai querer ouvir você se você falar alguma coisa para ele. O que você tem a dizer para o mundo?


NIZAN GUANAES, publicitário e presidente do Grupo ABC

Cursos e Palestras ( RECICLAGEM )

Cursos e Palestras ( RECICLAGEM )
Informações e reservas